Preservação óssea após extração dentária

25 de maio de 2016 11:47
   

 

Veja nessa bela animação da Geistlich como é possível fazer a preservação óssea após extração dentária para proporcionar uma base óssea mais ampla para a instalação subsequente de um implante dentário. | Sempre consulte um dentista para esclarecimentos e adaptações individuais ao seu caso.

Após a extração de um dente, o osso e o tecido gengival tendem a encolher naturalmente devido à ausência do estímulo que era proporcionado pelo dente quando em posição.

Isso pode tornar o volume ósseo insuficiente para a fixação de um implante. Esse encolhimento do osso também pode causar o aparecimento de um espaço indesejável embaixo de uma prótese fixa (“ponte fixa”) a ser instalada para repor o dente extraído.

Existem vários biomateriais (substitutos ósseos, membranas, fatores de crescimento celular) e procedimentos técnicos para preencher o alvéolo após a extração.

Com isso, é possível criar condições mais favoráveis para as diferentes opções de tratamento para repor o dente ausente, seja por meio de uma prótese ou de um implante.

A Associação Americana de Consultores Odontológicos (AADC, do inglês American Association of Dental Consultants, entidade cuja missão é ajudar pacientes e profissionais a tomarem decisões acertadas) reconhece o valor da técnica de preservação óssea após extração dentária.

A entidade, no entanto, lembra que a evidência científica atual não justifica o uso rotineiro do procedimento. Assim, as indicações clínicas para esse tipo de tratamento devem ser cuidadosamente avaliadas caso a caso.

Para saber mais:
https://cda-adc.ca/jcda/vol-72/issue-10/917.pdf
http://www.aadc.org/Articles/ArticlesPositionStatements/119951.aspx

Compartilhado por: GeistlichPharmaAG | produção: gebrüder Betz | sinopse: RBC


137
Visualizações