Disfunção da ATM

2 de abril de 2015 13:41
   


Veja como funciona a articulação temporomandibular (ATM), o que é a disfunção da ATM e um resumo das principais alterações estruturais e funcionais causadas por problemas de mordida (maloclusões) e outros problemas nos maxilares. | Sempre consulte um dentista para esclarecimentos e adaptações individuais ao seu caso.

Compartilhado por: Douglas Brownprodução: BiteFX | sinopse, tradução e locução: RBC | tradução e legendas: EAN

a transcrição do áudio traduzido.

UTILIZANDO O BITE FX PARA EXPLICAR AS CAUSA OCLUSAIS DAS DISFUNÇÕES DA ATM (articulação tempormandibular)

Uma disfunção da ATM é basicamente quando algo está errado na sua articulação da mandíbula. Este vídeo trata de uma das possíveis causas da disfunção da ATM, que é quando sua oclusão dentária não está correta. Ou seja, quando seus dentes não se articulam corretamente, como mostrado aqui.

Antes de explicar como uma maloclusão pode afetar a articulação de sua mandíbula, precisamos primeiro entender sua articulação temporomandibular, ou ATM. Primeiramente, veja como sua mandíbula funciona. Para abrir a boca, você tem um músculo embaixo de sua mandíbula que a puxa para baixo. Em seguida, para abrir bem a boca, sua mandíbula realmente sai do encaixe e é puxada pra frente por outro músculo. Para fechá-la, esses músculos se relaxam, e os potentes músculos de fechamento se contraem, colocando novamente os seus dentes em contato. Agora, vamos dar uma olhada mais próxima na articulação.

A porção superior da mandíbula, chamada de côndilo, se encaixa numa espécie de soquete em seu crânio, chamado fossa mandibular. Entre o côndilo e a fossa há um disco, chamado de disco da ATM, mostrado aqui em laranja, que é resistente como o couro. O disco acompanha o côndilo enquanto ele se move, para frente e para trás. Na parte de trás do disco, há um tecido esponjoso e macio, exibido em amarelo, que se contrai e se expande para preencher o vazio à medida que o côndilo entra e sai da fossa. Um músculo lateral se contrai e puxa a mandíbula para frente, ao passo que esse outro se contrai para fechar a mandíbula, ajudando a manter o disco no lugar.

As linhas nesta animação estão alinhadas para mostrar onde a mandíbula deve ficar quando está corretamente assentada. Veja que há vários elementos que compõem a articulação da mandíbula, e eles precisam trabalhar em harmonia para garantir um funcionamento saudável. Quando a mandíbula está fechada, os músculos laterais devem estar em repouso como exibido à esquerda. No entanto, problemas de oclusão podem deixar esses músculos tensos e hiperativos, como mostrado à direita. Nesse estado, os músculos puxam o disco da ATM por muito mais tempo do que deveriam. Veja como longos períodos dessa hiperatividade podem afetar a articulação da mandíbula com o tempo.

Começamos com o movimento normal de abrir e fechar. Agora veja o que acontece quando o disco é constantemente puxado pelo músculo lateral superior durante muito tempo. Esse é um processo que pode ocorrer ao longo de muitos anos. Note que algumas coisas estão acontecendo. Os ligamentos que seguram o disco à parte posterior do côndilo se esticam. A parte mais volumosa atrás do disco empurra a mandíbula um pouco para trás. De modo que a mandíbula agora não fica mais confortavelmente assentada no disco e acaba sendo empurrada para trás contra o tecido macio, que é bem sensível, causando dor.

Agora veja o que acontece quando a mandíbula se abre e se fecha. À medida que a mandíbula abre e é puxada para frente, o côndilo pula para o lugar correto, geralmente produzindo um estalo. Daí o côndilo acompanha o disco e, ao fechar, estala novamente quando volta à posição inicial. Se sua mandíbula está estalando, isso é o que está acontecendo. Mesmo que você não esteja sentido a dor que a animação sugere.

Agora veja o que acontece quando a tensão nos ligamentos aumenta, e a mandíbula é pressionada ainda mais fortemente contra o tecido, causando ainda mais dor. Nesse estágio de degradação, o côndilo não pula mais sobre o disco, por isso não há mais estalos. Além disso, ao invés de mover-se sobre o resistente disco , o côndilo passa a friccionar-se sobre os ligamentos já esticados na extremidade do disco; com o tempo, esses ligamentos acabam se perfurando, o que leva o côndilo a subir, friccionando osso contra osso. O disco fica esmagado na frente da mandíbula, o que pode dificultar a abertura da boca. Nesse estágio, a dor pode até ser menor, já que o tecido mais sensível não recebe tanta carga.

Quando os músculos laterais puxam excessivamente o côndilo por muito tempo, o côndilo pode assumir a forma de um bico. Isso é algo que médicos e dentistas podem observar em radiografias da articulação da mandíbula. O côndilo e a fossa também se desgastam, pois ali é osso friccionado contra osso, algo que provavelmente levará a uma artrite na articulação.

Quando a maloclusão é identificada precocemente pelo seu dentista, ela pode ser corrigida antes de ocorrer todo essa deterioração. Um dentista com formação adequada e experiente talvez consiga ajudá-lo a melhorar nos estágios menos graves de uma disfunção da ATM, mas quanto mais avançado for o seu estágio de degradação, é mais provável que você precise dos cuidados de um especialista em ATM.


232
Visualizações