Disfunção da ATM e placa de mordida

18 de agosto de 2015 13:20
   


A disfunção da ATM, ou disfunção temporomanadibular, pode envolver uma mordida desequilibrada e hiperatividade dos músculos mastigatórios, gerando tensão, dor de cabeça, distúrbios do sono e rangido de dentes, entre outros problemas. A placa de mordida pode aliviar esses sintomas. | Sempre consulte um dentista para esclarecimentos e adaptações individuais ao seu caso.

A articulação que mantém a mandíbula presa ao crânio é conhecida como a articulação temporomandibular, ou ATM. Essa articulação está localizada em frente da sua orelha em ambos os lados de sua cabeça.

Quando a ATM não funciona corretamente ou causa dor, usa-se o termo abrangente de disfunção da ATM, disfunção temporomanadibular ou simplesmente DTM.

Problemas na própria articulação, nos músculos relacionados a ela e na oclusão dentária, entre outros, podem causar a disfunção da ATM.

SINAIS E SINTOMAS DA DISFUNÇÃO DA ATM

 Dor na mandíbula
 Dor no pescoço
 Dor de cabeça
 Dor de ouvido
 Abertura de boca difícil
 Ruídos articulares dolorosas

CAUSAS DA DISFUNÇÃO DA ATM

A disfunção da ATM geralmente tem vários sintomas e mais de uma causa, podendo incluir:

Lesões à mandíbula: Ser atingido na mandíbula durante a prática de esportes, abrir demasiadamente a boca durante a alimentação, procedimentos odontológicos muito longos, ou a inserção de tubos de respiração para cirurgias podem desencadear a disfunção da ATM.

Hábitos anormais: Ranger os dentes durante o sono e apertar os dentes em vigília (bruxismo), roer as unhas, usar gomas de mascar e manter objetos na boca (canetas, cachimbo etc.) podem levar a disfunção da ATM em certas pessoas. Estes hábitos também podem tornar mais difícil tratar o problema e interromper a dor.

Oclusão: Pesquisas mostram que a forma como os seus dentes entram em contato ou ocluem raramente é a principal causa da disfunção da ATM. Para algumas pessoas, no entanto, uma maloclusão pode contribuir para dificultar o tratamento e o alívio da dor.

Fatores psicológicos: Estudos mostram que o estresse emocional, a depressão e a ansiedade aumentam a dor nos casos de disfunção da ATM.

Medicamentos: Alguns medicamentos podem afetar o cérebro e os músculos, levando à dor.

Doenças na ATM: Vários tipos de artrite podem acontecer na ATM, assim como em qualquer outra articulação do corpo.

O TRATAMENTO DA DISFUNÇÃO DA ATM

Existem muitas causas possíveis para a disfunção da ATM, por isso não há uma solução rápida ou “cura” para a doença. Os seus sinais e sintomas de disfunção da ATM podem ser temporários autolimitantes, sem efeitos graves de longo prazo.

A maioria dos pesquisadores recomenda que você e seu dentista/médico se concentrem primeiro em terapias conservadoras e reversíveis. As pesquisas mostram que o autocuidado e os tratamentos conservadores são os mais bem sucedidos.

Os objetivos do tratamento são diminuir a dor, aumentar a função da mandíbula e limitar o impacto da disfunção da ATM em sua vida diária.

MEDIDAS DE AUTOCUIDADO

 Evite ranger e apertar os dentes, mantendo-os ligeiramente afastados e a mandíbula relaxada
 Evite ficar “mastigando” objetos que não sejam alimentos, tais como canetas, lápis, palitos, ou unhas
 Evite tocar instrumentos musicais que forcem sua mandíbula
 Ao bocejar ou mastigar, limite a abertura de sua boca a um máximo de até dois dedos de largura
 Descanse os músculos da mandíbula, evitando uma mastigação pesada de goma de mascar, gelo e alimentos ou doces muito duros
 Aplique compressas frias ou então compressas quentes e úmidas
 Massageie os músculos dolorosos
 Aprenda a controlar o estresse e pratique técnicas de relaxamento
 Faça os exercícios de alongamento dos músculos da mandíbula de forma suave, seguindo as orientações de seu dentista/médico ou fisioterapeuta
 Identifique os eventuais problemas que esteja encontrando para dormir e trabalhe com o seu dentista/médico num plano para melhorar o seu sono
 Mantenha um registro de horários e situações em que sua dor se manifesta, incluindo qualquer coisa que você note que melhore ou piore a dor
 Mantenha um arquivo dos tratamentos anteriores que realizou para a disfunção da AMD

Para saber mais:
https://catalog.nidcr.nih.gov/OrderPublications/default.aspx#14
http://www.aaop.org/content.aspx?page_id=22&club_id=508439&module_id=108085
http://oralhealth.deltadental.com/Search/22,DD54
http://www.nidcr.nih.gov/oralhealth/Topics/TMJ/Documents/TMJDisorders_100113_508C.pdf?_ga=1.18295865.1246149445.1466085195

Compartilhado por: Douglas Brownprodução: BiteFX | sinopse e tradução: RBC | tradução e legendas: EAN

a transcrição do áudio traduzido.

Ter uma mordida adequada é essencial para a saúde da sua articulação da mandíbula, dos ossos da mandíbula e dos maxilares, dos dentes e dos músculos.

Esta animação mostra como, numa mordida adequada, a articulação da mandíbula está inteiramente encaixada em seu soquete, como se vê aqui pelo alinhamento das linhas verdes. Quando a mandíbula se move, ela gira ainda no soquete e depois sai do soquete durante a abertura completa. Durante o fechamento, ao morder, a mandíbula se encaixa novamente no soquete, como se pode ver pelo alinhamento das linhas verdes.

Outro elemento importante de uma boa mordida é a chamada proteção canina. Veja nesta animação como os caninos permitem a separação de todos os dentes de trás, de uma só vez, quando a mandíbula se desloca para os lados.

Problemas nos maxilares e o bruxismo geralmente ocorrem à noite, quando os pacientes não estão cientes do que estão fazendo.

Outro elemento importante é o papel dos dentes da frente. Veja nesta animação como, ao mover a mandíbula para frente, os dentes anteriores entram em contato e os dentes posteriores imediatamente se separam. Depois, quando você fecha, note como a articulação da mandíbula se encaixa totalmente, como se pode ver pelo alinhamento das linhas verdes à medida que você move a mandíbula para trás, atingindo novamente uma mordida adequada.

Os músculos funcionam de uma forma bastante específica quando a mordida é adequada e articulação da mandíbula está devidamente encaixada em seu soquete. Repare como, ao abrir a boca, um músculo que liga o queixo a um ponto próximo ao pomo de Adão, puxa o queixo para baixo. Durante a abertura completa, outro conjunto de músculos, chamados pterigoides, se contrai e puxa a articulação da mandíbula para fora do soquete. Esses são os únicos grupos musculares que devem atuar durante a abertura.

Durante o fechamento, os grandes músculos em azul são os músculos de fechamento. Um desses grandes músculos no lado da cabeça é chamado de músculo temporal. Esse músculo muitas vezes causa dores de cabeça durante a ação noturna de apertar ou ranger. No fechamento, note como os grandes músculos assumem o controle, trazem a articulação da mandíbula até sua posição no soquete, onde as linhas verdes se alinham, e o paciente retorna a mandíbula à posição de fechamento total.

O ponto chave aqui é que os pequenos músculos pterigoides estão completamente relaxados, como representado nesta animação pela cor azul. O seu dentista pode ter observado que, ao morder, quando está acordado, a articulação da mandíbula não se encaixa totalmente, como se vê pela falta de alinhamento entre as linhas verdes. Quando está acordado, embora você possa abrir, fechar e voltar à posição de mordida, veja como você habitualmente morde onde os dentes se encaixam melhor, porém sem que sua articulação esteja totalmente encaixada.

À noite, quando você não tem ciência de onde está mordendo, você consegue levar sua articulação a uma posição diferente, como visto aqui pelo alinhamento das linhas verdes. Repare como apenas os dentes de trás entram em contato. Isso pode causar danos aos dentes de trás, perda prematura de coroas e estresse sobre os ossos, além de fazer com que os músculos trabalhem de uma forma hiperativa.

Esta animação mostra, à esquerda, uma função muscular normal e, à direita, como os músculos ficam, em alguns casos, quando o paciente está dormindo e apertando os dentes. Durante a abertura completa, tudo parece normal. Mas, durante o fechamento, observe como, no lado direito, contraem-se não apenas os grandes músculos de fechamento ao lado da cabeça e ao lado da mandíbula, mas também os pequenos músculos pterigoides, já que são forçados a manter a articulação da mandíbula fora de sua posição adequada.

Isso causa um estresse desnecessário, algo que chamamos de hiperatividade muscular, e essa pode ser uma das principais causas de dores de cabeça, especialmente entre as mulheres. O tratamento recomendado é um aparelho bastante específico, que tem todos os elementos de uma mordida adequada.

Ao fechar a boca durante o sono, a placa permitirá que os seus músculos atuem normalmente, proporcionando saúde e uma função adequada. Observe como a articulação da mandíbula se encaixa totalmente e os únicos músculos que estão atuando são os músculos de fechamento, ao passo que os pequenos músculos pterigóides estão relaxados.

Numa outra visão do mesmo movimento, vamos rever a situação em que os músculos estão em uma posição hiperativa, contraindo-se de maneira anormal, e a articulação não está encaixada. Nessa situação, a placa permite ao paciente fechar e engolir, mantendo a articulação da mandíbula encaixada, com contatos adequados entre os dentes. Veja também como a placa tem os elementos necessários para a separação dos dentes da frente quando você movimenta a mandíbula para frente ou para os lados. Observe como os dentes da frente se tocam e os dentes de trás se separam quando você desliza a mandíbula para frente sobre a placa, e como a articulação se encaixa à medida que você retorna a mandíbula à posição de fechamento.

O último elemento incorporado a à placa de mordida é a guia canina ou proteção canina. Ao mover a mandíbula para os lados, note como apenas os caninos se tocam e todos os dentes de trás se separam.

Seu dentista está preparado para fazer uma moldagem precisa de sua boca, e conhece bem todos os elementos que compõem uma placa de mordida. A placa tem de permitir que a articulação da mandíbula se encaixe e que os dentes da frente se separem quando a mandíbula é movimentada para trás e para frente, proporcionando proteção aos dentes e ao osso, conforto à articulação da mandíbula e – o que é mais importante – uma função muscular normal.


406
Visualizações